segunda-feira, 10 de maio de 2010

Um passo pra frente, dois pra trás – buscando o equilíbrio!!

Tudo ia bem, estava super animada, fazendo tudo certinho, vendo alguns resultados, etc e tal. Até que, sem explicação, comecei a desanimar, relaxar. Deixei de anotar o que estava comendo e fui abrindo um monte de exceções, e consequentemente engordei, depois vem aquele pensamento horrível: “já que já estragou, por que não comer um pouco mais? Por que não ir no Mc, por que não um chocolate?”.

Não sei por que isso acontece, só sei que é assim, mas, Graças a Deus, hoje é segunda e mandei esse pensamento embora! Voltei a anotar tudo o que como, a comer mais certinho e vamos continuar a luta! Dá uma tristeza, uma raiva, se esforçar tanto e depois subir na balança e ver que regrediu, que engordou. Mas, se eu me deixar dominar por esse sentimento as coisas só vão piorar. Então, o negócio é se conformar, é entender que não somos perfeitos, que cometemos deslizes e continuar na luta.

É assim que estou pensando. Ainda bem que o estrago não foi tão grande (até a ultima vez que me pesei, tinha sido de mais ou menos 1,5 kg), vou continuar o controle, emagrecer esse adicional e continuar rumo ao meu sonho.

O que eu quero é encontrar o equilíbrio. Tenho que entender, que explicar para esse “euzinho” meio rebelde que mora dentro de mim, que tudo tem seus prós e contras. Que não dá para comer chocolate e massa todos os dias, mas que de vez em quando eu posso sim! Que se eu quiser comer mais, não vou conseguir emagrecer e ficarei feliz por um momento muito curto e insatisfeita por um período bem maior.

É isso, estou em processo de aprendizagem, de amadurecimento, não vou desistir, vou encontrar o equilíbrio, vou viver em paz com a balança!

5 comentários:

Ângela disse...

Olá..!

Adorei teu blog e já estou te seguindo..!Vamos juntas nesta luta!beijuss

Valquiria disse...

Aplausos!!!Plaft, plaft!!!heheheh
É admiravel sua força, sua garra siga em frente!!beijos
Val

Beth disse...

Paulinha, um dia eu cheguei no meu homeopata unicista, há mais de 15 anos atrás, em prantos. Pedi a ele, desesperadamente, que me ensinasse a encontrar o meu ponto de equilíbrio. Não me referia a nada com corpo, peso, era outra coisa que me incomodava na época, mais pessoal. Aí, ele me explicou com carinho e calma que não existe um ponto exato onde a gente se fixa e pronto, viramos seres equilibrados. O ponto de equilíbrio nada mais é do que uma média entre nossos acertos e desacertos. A gente, sendo humana, tende a pender para cá e para lá, normalmente. Mas, se ficarmos só pendendo para um lado ou para o outro, aí precisamos ajustar para manter o que? O equilíbrio.
Então, não se exaspere. Lembre-se daquele meu post de algumas semanas atrás, em que usei o exemplo do equilibrista. Ele não segue durinho na corda bamba, ele pende para um lado e para outro. Vamos em frente, sempre, com garra, com vontade, você é capaz e já está vencendo a parada. Beijo.

Rita disse...

Oi Paula, obrigada pelo seu comentário no meu blog, já estou te seguindo e vou te linkar pra acompanhar sua história ta bom? Me identifiquei muito com seu post, tb estava me sentindo assim essa semana, o bom é que podemos sempre recomeçar. Às vezes achamos que o estrago é enorme, mas ainda bem q vc teve coragem de se pesar e ver que não é tudo isso. Vamos la amiga, força que mesmo errando, não podemos desistir nunca. Bjos

Beth disse...

E aí, Paulinha, como está tudo?
Beijo grande!